Dep. Marco Prisco critica silêncio da ALBA, após operação que culminou no afastamento de Mauricio Teles Barbosa da SSP-BA


O deputado estadual Marco Prisco(PSC) criticou, na manhã desta quarta-feira(16), em entrevista concedida ao programa Primeira Mão, da rádio Ouro Negro 100.5 FM, o silêncio da Assembleia Legislativa da Bahia(ALBA), após os desdobramentos da operação Faroeste, que culminou na prisão de investigados e no afastamento do secretário estadual de segurança pública, Mauricio Teles Barbosa. A ALBA é composta majoritariamente por  deputados aliados ao governador Rui Costa.

Na entrevista, que foi retransmitida pelos canais da rádio web 2 de Julho no youtube, facebook e aplicativo Radio 2 de Julho, o deputado chegou a comparar a Casa Legislativa a um “puxadinho” do Governo.

Prisco afirmou que não se surpreendeu com as acusações feitas pelo Ministério Publico contra o ex-secretário. O deputado relembrou que já em 2017, ele próprio, havia denunciado crimes cometidos por Mauricio Teles Barbosa. Na época, o parlamentar o acusou de grampear ilegalmente telefones de desembargadores e parlamentares da Assembleia.

Prisco disse ainda que, apesar do ex-secretário ter sido afastado, parte da estrutura foi mantida na Secretaria de Segurança Pública(SSP-BA) pelo governador Rui Costa(PT). Diante dos fatos, o deputado afirmou que na secretaria havia se instalado uma “célula criminosa”.

O deputado também revelou que entrará com um pedido junto ao Conselho Nacional de Justiça(CNJ) para que tudo seja apurado e que as investigações a respeito dos grampos sejam retomadas.

Fonte: newsinfoco